Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
AVIAÇÃO

Sky Airline é a primeira companhia de baixo custo a operar no Brasil

  • Publicado: Segunda, 05 de Novembro de 2018, 16h02
  • Última atualização em Sexta, 09 de Novembro de 2018, 11h17

A vinda da empresa para o Brasil é o resultado do esforço do Ministério dos Transportes e da ANAC para ajustar as normas brasileiras ao padrão internacional  

A empresa aérea de baixo custo (low cost) Sky Airline, a segunda maior companhia aérea do Chile realizou, nesta segunda-feira (5/11), seu primeiro voo regular internacional entre Santiago, no Chile, e o Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Sua vinda para o Brasil é o resultado do esforço do Ministério dos Transportes e da ANAC para ajustar as normas brasileiras ao padrão internacional.

SKY

“Agora, a norma que utilizamos é semelhante a de outros países, isso atrai companhias de baixo custo e passageiros para o país", afirmou o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro, citando outras medidas que estão sendo tomadas para atrair essas companhias: o Projeto de Lei para a abertura de capital das empresas aéreas brasileiras, em pauta no Congresso Nacional; o aprimoramento da legislação para o setor; e a tentativa de igualar a alíquota do ICMS do querosene da aviação (QAV) para todos os estados brasileiros.

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) já concedeu a autorização operacional à companhia. Estão previstas quatro frequências semanais regulares, com a aeronave modelo Airbus A320 Neo, com capacidade para 186 passageiros. O voo partirá do Aeroporto Internacional Comodoro Arturo Merino Benítez, em Santiago, no Chile, com destino ao Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro. Em seguida, a empresa fará a rota no destino inverso. 

Até o final do ano estão previstas  operações para os terminais de Guarulhos, em São Paulo, e Hercílio Luz, em Florianópolis. A autorização operacional era a última das três etapas para a empresa  operar voo regulares no Brasil. As duas primeiras autorizações, a de funcionamento no país e a jurídica, foram emitidas pela ANAC em maio de 2013.

Para o secretário Executivo do Ministério do Turismo, Alberto Alves, a ampliação da conectividade aérea é uma pauta prioritária para a Pasta. “Tanto que faz do conjunto de medidas do Brasil Mais Turismo, um plano desenhado para enfrentar entraves históricos do setor e dinamizar a atividade turística em curto prazo”, explicou Alves.  

MAIS COMPANHIAS - A Sky Airline é uma das quatro empresa low cost com processos em andamento na ANAC. Fundada em 2002, presta serviço de transporte aéreo e carga e transporta mais de 140 mil passageiros mensalmente, é a segunda aérea chilena, atrás da Latam airlines. A europeia Norwegian e as argentinas Avian (subsidiaria da Avianca) e Flybondi são as outras aéreas em tratativas com a ANAC para ofertarem voos de longo curso no país.

Além do ministro dos Transportes, Valter Casimiro, participaram da cerimônia, o secretario Executivo do ministério dos Transportes, Herbert Drummond, o secretário Nacional de Aviação, Dário Lopes, o presidente do RIOgaleão, Luiz Rocha,  o CEO da  Sky Airline, Holger Paulmann, e a diretora de financiamento do Intituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR), Giovanna Crema.

Foto: Alberto Ruy/ASCOM

Assessoria de Comunicação
Ministério dos Transportes, Portos e Aviação

registrado em:

Notícias Relacionadas


Fim do conteúdo da página