Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
PRODUÇÃO

Porto de Santos atinge novo recorde de movimentação, com aumento de 23% das exportações

  • Publicado: Quarta, 30 de Agosto de 2017, 18h43
  • Última atualização em Quinta, 14 de Setembro de 2017, 17h52


Complexo portuário santista cresce quase 8% no período e projeta novo recorde anual para 2017.

Porto de Santos - Sérgio Coelho

O Porto de Santos registrou recordes históricos de movimentação mensal e acumulada de cargas, ultrapassando, pela primeira vez, as marcas de 12 milhões de toneladas ao mês e de 70 milhões de toneladas no período. O mês de julho, fortemente impulsionado pelas exportações, atingiu o total de 12.053.697 toneladas, superando em 5,75% o volume de cargas verificado em maio (11.397.641 toneladas) e, em 18,4%, o movimento de julho do ano passado (10.182.378 toneladas), elevando em 23,1% as exportações.

O total acumulado, com forte aumento das importações e elevada participação das exportações, chegou a 73.097.632 toneladas, ultrapassando em 7,6% o maior movimento, registrado no período de janeiro a julho do ano passado (67.960.460 toneladas).

DESTAQUES - As exportações de granéis sólidos de origem vegetal tiveram significativa influência no movimento mensal, somando, nos embarques de açúcar, complexo soja e milho, quase 6 milhões de toneladas em julho, o equivalente a 65% do total das mercadorias exportadas no mês.

Em razão do elevado crescimento, as operações de embarque de milho tiveram grande destaque, pela variação de 99,6% na comparação com julho de 2016, atingindo 1.830.567 toneladas. Ainda considerando índice de crescimento, o complexo soja, consolidando os embarques de soja a granel, farelo a granel e grãos em contêineres, ampliou sua movimentação em 38,2%, chegando a 1.552.426 toneladas.

O principal destaque quanto à tonelagem, responsável pela maior participação no total exportado, foi o açúcar, registrando 2.358.563 toneladas embarcadas em julho, 10,8% a maior que em 2016.

Na importação, o movimento mensal apontou crescimento de 65,8% de óleo diesel e gasóleo, com 358.126 toneladas descarregadas. Outro destaque foram as operações com enxofre, que chegaram a 202.806 toneladas, registrando aumento de 12,6%.

ACUMULADO - O movimento geral de cargas no período, sob influência da alta elevada das mercadorias importadas, que registraram alta de 14,5%, atrelado ao crescimento de 5,1% nas exportações, que representaram mais de dois terços do total, consolidou o cenário para a superação de mais um recorde.

No total exportado, mais uma vez o destaque fica com os embarques das commodities agrícolas, notadamente açúcar e complexo soja. Despontando como principal item, o complexo soja destacou-se pela tonelagem e índice de crescimento, chegando a 18.807.914 toneladas e alta de 9,7%.

As operações de embarque de açúcar, a segunda carga de maior movimentação no período, atingiu 11.221.827 toneladas, 7,2% a maior que em igual período de 2016.

As importações de adubo tiveram a maior participação verificada nesse fluxo, alcançando 2.147.532 toneladas, registrando taxa de aumento de 34,8%. Na sequência, vêm as descargas de óleo diesel e gasóleo, com 1.388.458 toneladas e a maior alta no fluxo de importação, com 43,0% de aumento. As descargas de enxofre alcançaram a terceira posição no movimento físico da importação, com 1.092.088 toneladas e incremento de 12,7%.

A movimentação de cargas conteinerizadas em toneladas teve incremento de 11,6% em julho e de 9,0% no período, respondendo por mais de um terço (33,5%) do total de cargas operadas no complexo. As operações com contêineres registraram, em TEU, crescimento de 6,5% no movimento mensal, com 333.414 TEU (unidades equivalentes a 20 pés) e de 6,4% no período, somando 2.125.897 TEU.

O fluxo de navios registrou 2.793 embarcações atracadas no período, 0,2% a menor que em 2016, o que representa um ganho de produtividade de quase 8%, com a média de 26,171 mil toneladas operadas por navio em comparação às 24,271 mil toneladas operadas em igual período do ano passado.

Fonte: CODESP
Foto: Sérgio Coelho


Assessoria de Comunicação
Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página