Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
BALANÇO 2017

Caderno Transportes divulga balanço de investimentos e obras realizados em 2017

  • Publicado: Quarta, 14 de Março de 2018, 12h06
  • Última atualização em Quarta, 11 de Abril de 2018, 20h57

Mesmo com recursos abaixo do esperado, foram retomadas obras estruturantes em todo o país

Herbert Drummond 30 Out 13 ESL 3963O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação divulga, nesta quarta-feira, 14/3, o “Caderno Transportes”, com um balanço das ações e investimentos realizados pela Pasta e suas vinculadas no ano de 2017. A publicação também apresenta as estratégias de distribuição de recursos usadas para manter o desenvolvimento dos empreendimentos em todos os setores de transporte (rodoviário, ferroviário, hidroviário, aéreo e portuário).

“O último ano foi marcado pela superação da crise econômica e 2018 começou com uma perspectiva promissora para o setor de transportes” afrimou o secretário de Política e Integração, Hebert Drummond


“O último ano foi marcado pela superação da crise econômica e 2018 começou com uma perspectiva promissora para o setor de transportes”, afirma o secretário de Política e Integração, Herbert Drummond, acrescentando: “A ideia é desenvolver um trabalho baseado na estratégia de gestão de recursos eficiente aliada a um controle público comprometido com a melhoria e o crescimento da Infraestrutura e logística de transportes no Brasil.”

Com medidas concretas e objetivas, o secretário diz que o Governo Federal voltou a impulsionar a economia, contribuindo para a retomada do crescimento no país. Para contribuir com os avanços econômicos, segundo ele, “o Ministério, mesmo com orçamento reduzido em 17% (comparado ao ano de 2016), buscou ampliar os padrões de governança, desburocratizar os procedimentos e conceder mais espaço aos investimentos e obras prioritárias.”

“Mesmo com recursos escassos, foi possível retomar obras estruturantes em todo o país. Com o programa Agora, é avançar, as entregas estão acontecendo de maneira mais eficaz”, completou Drummond.

Em 2017, impulsionados pelo aumento da produção industrial e agrícola, os serviços de transporte cresceram 2,3%. A movimentação de cargas registrou um aumento significativo em todos os modais, principalmente no setor portuário (8,3%) e no ferroviário (7%), que resultaram na supersafra de soja.

 


Clique aqui para baixar o caderno

RODOVIAS – Foram concluídos mais de 500 quilômetros de rodovias em todo o país. Os investimentos incluem obras de pavimentação, duplicação e adequação. Além disso, estão em execução mais 500 quilômetros de estradas. O investimento público destinado ao setor rodoviário em 2017 foi de R$ 3 bilhões.

Foram investidos R$ 4,9 bilhões em manutenção da malha federal administrada pelo DNIT. 91% das rodovias federais pavimentadas têm contratos de manutenção.

FERROVIAS – Foram investidos R$ 5 bilhões sendo R$ 1 bilhão e 800 mil em ampliação da malha ferroviária. Uma das principais obras do setor é a ferrovia Norte Sul, que está sendo desenvolvida para estabelecer alternativas mais econômicas para os fluxos de cargas. Além disso, o projeto prevê o desenvolvimento da multimodalidade, que possibilita o surgimento de uma logística exportadora competitiva, conectando a malha ferroviária aos grandes portos do país.

O setor é um dos principais responsáveis pela movimentação de cargas do país. Foram 538,8 milhões de toneladas de cargas movimentadas por vias férreas. Deste total, 78% foi minério de ferro.

AEROPORTOS – O setor aeroportuário foi marcado pela retomada do crescimento em 2017. A movimentação de passageiros (embarque e desembarque) nos aeroportos brasileiros registrou aumento em dez dos 12 meses do ano. No comparativo com 2016, o aumento registrado foi de 2,33%.

O Programa de Aviação Regional foi um dos grandes destaques do ano de 2017. Por meio dele foram entregues aeroportos importantes que já eram esperados há muitos anos como o de Jericoacoara e Macaé. Foram investidos também mais de R$ 50 milhões em 36 aeroportos administrados pela Infraero.

Também foram assinados 34 instrumentos de repasse (Termos de compromisso). Deste total, 15 são convênios assinados com os estados para garantir melhorias nos aeroportos regionais.

PORTOS E HIDROVIAS – Em relação aos investimentos para o setor, o ano de 2017 terminou com R$ 963,6 milhões destinados às obras concluídas e R$ 478,1 milhões em contratos que estão em execução.

As dragagens dos rios Madeira, Paraguai e dos portos do Rio de Janeiro e Vitória foram obras importantes para o crescimento do setor, permitindo que ele se torne mais competitivo no mercado.

Foram entregues também obras de infraestrutura nos portos de Santos, Rio Grande, Itajaí e Itaqui, além do novo terminal de contêineres do porto de Fortaleza.

Foi entregue o 1º Sistema de Gerenciamento de Informação do Tráfego de Embarcações do país. O sistema está implantado no Porto de Vitória/ES e entrou em operação em outubro de 2017 permitindo a ampliação da segurança da vida humana no mar, da navegação, da proteção ao meio ambiente e da eficiência nas manobras de embarcações. O sistema custou R$ 9 milhões.

CONCESSÕES – Os projetos de concessões continuam ganhando espaço no setor de infraestrutura do Governo Federal. Trata-se de um modelo de gestão baseado em parcerias com o setor privado. Para aprimorar o atual modelo usado nas concessões brasileiras, o programa avançar parcerias apresenta um novo padrão de concessões que começou a ser implantado em 2017 e já rendeu resultados satisfatórios para o país. Os leilões dos aeroportos de Fortaleza, Salvador, Florianópolis e de Porto Alegre foram exemplos dessa evolução. Os terminais portuário de Santarém e de trigo, do Porto de Rio de Janeiro também são projetos já desenvolvidos por meio do novo programa de concessões. Esses leilões garantiram R$ 1,5 bilhão em outorgas recolhidas à União.

Foto: Edsom Leite

Assessoria de Comunicação
Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

registrado em:

Notícias Relacionadas


Fim do conteúdo da página