Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
PORTOS

Segunda etapa de Modernização Visual do Sistema Porto Sem Papel é concluída

  • Publicado: Quinta, 21 de Fevereiro de 2019, 20h14
  • Última atualização em Sexta, 01 de Março de 2019, 16h46

Entre as melhorias, está a aplicação de filtros e configurações individuais de consultas, de acordo com as necessidades dos usuários.

SUAPE por Rafael Medeiros427Criado em 2011 pela Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários (SNPTA), vinculada ao Ministério da Infraestrutura, o sistema Porto sem Papel (PSP) concluiu sua segunda etapa de modernização, a qual visa facilitar o uso do sistema. Entre os benefícios para os usuários, está a possibilidade de aplicação de filtros para qualquer dado disponível, além da configuração individual das consultas, o acesso facilitado aos dados e a atualização por lote de informação de cargas.

Com o processo de modernização, todo o sistema será redesenhado e passa a funcionar com uma interface que facilitará a interação do usuário. Até abril de 2019, as funcionalidades relacionadas a tripulantes e passageiros estarão concluídas e disponíveis no sistema. A alteração complementa a Fase Um da modernização, implantada em novembro de 2018, que foi executada com foco nas cargas perigosas.

Segundo o Analista de TI da Coordenação Geral de Gestão Portuária da SNPTA, Ricardo Strauss, a implantação permitiu ao Porto de Santos eliminar as poucas informações que ainda eram exigidas em papel. “Com a automação completa, vamos acabar com a tramitação de cerca de 1,8 milhão de impressos por ano”, explicou.

PORTO SEM PAPEL

Com o objetivo de promover a desburocratização dos procedimentos de estadia dos navios nos portos brasileiros, a SNP implantou o Projeto Cadeia Logística Portuária Inteligente nos portos de Santos (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Vitória (ES), através do sistema Porto sem Papel (PSP). Dois anos depois, o projeto já alcançava 35 portos públicos em todo o Brasil, e hoje já chega a 83 Portos Privados.

Anteriormente, a metodologia para solicitar as anuências de atracação, operação e desatracação era realizada de forma manual. O processo incluía mais de 2000 itens de informação, em 112 formulários em papel. O PSP unificou todos os dados em uma única base, originando o Documento Único Virtual (DUV), com 935 itens, que é dirigido de uma vez só a todos os envolvidos no processo.

Assessoria Especial de Comunicação
Ministério da Infraestrutura

registrado em:

Notícias Relacionadas


Fim do conteúdo da página